Home » 1017 (16 a 22.12.2013), Ciência

Conceito máximo na pós-graduação

Publicado por admin - Wednesday, 18 December 2013

ENSINO

Na Avaliação Trienal 2010-2012 da Capes, 71% dos programas de Pós-Graduação da USP foram avaliados com conceitos 5, 6 e 7, considerados como níveis de excelência

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulgou, no dia 10 de dezembro, a Avaliação Trienal 2013, referente ao período de 2010 a 2012, na qual foram analisados 3.337 programas de pós-graduação, que compreendem 5.082 cursos, sendo 2.893 de mestrado, 1.792 de doutorado e 397 de mestrado profissional.
Ao todo, 44 dos 230 programas da USP avaliados receberam nota 7, considerado o conceito mais alto da classificação. Na avaliação passada, esse número foi de 36. Além desses cursos que obtiveram a nota máxima, 45 receberam o conceito 6, indicando um desempenho equivalente a padrões internacionais de qualidade. Em todo o Brasil, a USP responde por 22% dos programas com conceitos 6 e 7.
Além disso, 66 programas ficaram com a nota 5, 60 receberam nota 4 e apenas 15 receberam o conceito 3, o que significa desempenho regular, mas que atende aos padrões mínimo de qualidade.
“Com esse resultado, a USP figura como centro de excelência na pós-graduação brasileira, excelência esta construída ao longo de sua trajetória de quase 80 anos, e com investimentos significativos realizados nos últimos anos”, avalia o reitor da Universidade, João Grandino Rodas.
O dirigente cita, por exemplo, o Programa de Incentivo à Pesquisa, lançado em 2010, que representa iniciativa inédita dentro do panorama das universidades brasileiras no que tange à indissociabilidade da pesquisa e da pós-graduação. Nesse programa, foram aplicados cerca de R$ 219 milhões de recursos oriundos da própria USP. Uma característica essencial exigida para a submissão das propostas era a participação de pesquisadores de pelo menos duas unidades diferentes da Universidade, procurando promover sua natureza interdisciplinar, garantindo aos selecionados a transformação do grupo de pesquisa em um Núcleo de Apoio à Pesquisa (NAP).

A pós-graduação da USP – A USP possui hoje 23.670 alunos de pós-graduação, dos quais 10.592 de Mestrado e 13.078 de Doutorado. Nos últimos três anos, foram outorgados 17.637 títulos, formando 10.592 mestres e 7.045 doutores. Também neste período foram celebrados 136 convênios de dupla titulação com instituições estrangeiras e 806 alunos estrangeiros foram formados.
O pró-reitor adjunto de Pós-Graduação, Arlindo Philippi Junior, cita, como importantes características que destacam a pós-graduação da USP, as parcerias com instituições de ensino superior brasileiras, com a realização de cursos de mestrado e doutorado interinstitucionais; a formação de docentes para integrar os quadros de universidades do mundo todo; o incentivo à internacionalização dos programas, além das estratégias de avaliação interna.
“A busca pela qualidade é um processo contínuo que envolve avaliação constante. A avaliação da Capes cumpre importante papel nesta busca, indicando necessidades de transformações e superação de limites em alguns programas. A USP tem desenvolvido uma série de ações que ampliam a capacidade de coleta e análise dos dados para a avaliação, bem como alavancam o seu desempenho no quadro geral da pós-graduação brasileira”, considera Philippi.
Para o pró-reitor adjunto, “estamos mantendo o que já conquistamos e estamos avançando”. Ele cita, como exemplo, a produção científica da Universidade, que, segundo a base de dados Web of Science, classifica a USP entre as 40 melhores do mundo em várias áreas, como ciências agrárias, biologia, ciências sociais, entre outras.
Leia, nestas páginas, as análises dos desempenhos dos programas frente a cada uma das nove grandes áreas do conhecimento, elaboradas pelo Grupo de Trabalho da Pró-Reitoria de Pós-Graduação.

Avaliação – O processo de avaliação da Capes contou com a participação de aproximadamente 1.200 consultores, entre professores e pesquisadores de todas as regiões do Brasil. As equipes avaliaram o panorama e as atividades dos programas de Pós-Graduação, durante os anos de 2010, 2011 e 2012, para atestar a qualidade dos cursos, acompanhando sua qualificação. Entre os critérios da avaliação estão a infraestrutura, a proposta do programa, análise do corpo docente e discente e produção intelectual.
Os cursos são separados em 48 áreas de avaliação e analisados por comissões específicas para cada área. Os cursos recebem notas entre 1 e 7, sendo que as notas 1 e 2 determinam o descredenciamento dos programas.
A avaliação trienal dos cursos de pós-graduação no Brasil é realizada regularmente desde 1976, ou seja, há mais de 40 anos, e se consolidou como um importante instrumento para certificar a qualidade da pós-graduação no Brasil, resultando em elementos e indicadores que permitem induzir e fomentar ações governamentais de apoio à pós-graduação, identificando assimetrias, impulsionando o avanço científico e fornecendo estudos e subsídios para ações governamentais de instituições de ensino superior e para as agências de fomento, tanto brasileiras quanto internacionais.
Esse tipo de avaliação, nos moldes em que é realizada na Capes, é inédita no mundo e contribui para o desenvolvimento da pós-graduação brasileira, fornecendo, inclusive, subsídios para fazer avanços na ciência, tecnologia e inovação do País.

Áreas de excelência

A seguir, uma análise da avaliação da Capes por áreas de concentração.

Ciências Agrárias – A USP possui 23 programas de Pós-graduação em Ciências Agrárias, que contemplam as áreas de Agricultura (Engenharia Agrícola, Entomologia, Fitopatologia, Fitotecnia, Genética e Melhoramento de Plantas, Estatística e Experimentação Agronômica, Fisiologia de Plantas, Microbiologia Agrícola, Recursos Florestais, Ciência do Solo e Energia Nuclear na Agricultura); Medicina Veterinária (Anatomia dos Animais, Clínica Veterinária e Cirúrgica, Epidemiologia e Zoonoses, Patologia e Reprodução Animal e Biociência Animal), Zootecnia (Ciência Animal e Pastagens, Nutrição e Produção Animal, e Zootecnia) e Ciências dos Alimentos (Ciência, Tecnologia e Engenharia de Alimentos).
Na avaliação trienal, a área de Ciências Agrárias atingiu excelência em 78% de seus programas, sem alterações consideráveis em relação aos resultados da avaliação anterior.
Para atingir tal desempenho, a USP fez contínua busca pela internacionalização, realizada por meio de grande número de convênios com renomadas instituições internacionais, realizando treinamento de seus pesquisadores e estudantes, bem como parcerias para geração de tecnologia.

Ciências Biológicas – A USP possui seis programas de Pós-Graduação na área de Biodiversidade (5% dos programas do País), todos com cursos acadêmicos de mestrado e doutorado. Quatro deles com nota 6, um com nota 5 e o último, criado neste triênio de avaliação, com nota 4.
Além da Biodiversidade, a Área de Ciências Biológicas contempla também ciências básicas relacionadas à medicina e todas as áreas correlatas, além de biologia, bioinformática, ciências agropecuárias, geologia e psicologia.
Na área de Ciências Biológicas, a USP possui 18 programas, todos com cursos de mestrado e doutorado. Cabe ressaltar o Programa Internacional em Biologia Celular e Molecular Vegetal, que oferece exclusivamente o doutorado, desenvolvido pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), em conjunto com duas universidades estrangeiras, constituindo-se no primeiro programa brasileiro a oferecer um diploma reconhecido pelas três universidades.
Dos 18 programas, cinco obtiveram nota 7, cinco obtiveram nota 6, seis obtiveram nota 5 e dois receberam nota 4.

A pós-graduação na USP: excelência confirmada

Ciências da Saúde – A grande área da saúde ocupa um papel de destaque dentro do contexto geral da pós-graduação da USP. Dela fazem parte 81 programas, envolvendo cursos de mestrado, mestrado profissional (7) e doutorado, em sete diferentes  áreas do conhecimento (Medicina, Enfermagem, Odontologia, Farmácia, Saúde Coletiva, Educação Física, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional e Nutrição). Além disso, a área de Farmácia participa de um programa de doutorado em rede em conjunto com quatro outras universidades (UFG, UFRGS, UFS, Unesp).
Dentro deste grande universo de ensino e pesquisa, destacam-se projetos multicêntricos, muitas vezes com parcerias internacionais, havendo, no momento, 247 intercâmbios internacionais, que envolvem atividades de estágio discente e docente. Destaca-se, entre outros, o convênio de colaboração da Faculdade de Medicina com o Centro Espacial Kennedy, da Nasa, com propósito de estudo de fisiologia respiratória em ambiente espacial através da tomografia de impedância elétrica. Merece referência também que alunos dos Programas de Odontologia tem sido os maiores vencedores do Prêmio Edward H. Hatton – Unilever Travel Award, um dos mais importantes da pesquisa odontológica.
De acordo com a avaliação da Capes, 70% dos programas na área da saúde receberam conceito igual ou superior a 5, demonstrando que a excelência observada nas avaliações anteriores foi mantida.

Ciências Exatas e da Terra – A área de Ciências Exatas e da Terra contempla 22 programas de pós-graduação.Fazem parte da área programas de formação básica em ciências, tais como Física, Matemática e Química, e outros com perfil mais tecnológico, como Ciência da Computação, Sistemas da Informação, Geoquímica e Geotectônica, Mineralogia e Petrologia, Recursos Minerais e Hidrogeologia, Geofísica, assim como Estatística, Astronomia, Meteorologia e Oceanografia.
Além desses, a área possui três programas de mestrado profissional, sendo dois desses voltados à formação de professores do ensino básico e outro voltado para o setor tecnológico.
As pesquisas desenvolvidas nesses programas têm promovido aplicações das ciências exatas básicas, estatística e computação no entendimento e na solução de problemas complexos, como os relativos à neurociência, às mudanças climáticas e à nanotecnologia, entre outros. A pesquisa desta área tem ensejado parcerias com o setor produtivo, como, por exemplo, nas áreas de extração de minério e petróleo. Além disso, os programas têm também contribuído decisivamente para a formação de profissionais que vão atuar no ensino ou na pesquisa.
Entre os 20 programas avaliados pela Capes, 15 atingiram nota 6 ou 7, sendo que nove alcançaram a nota máxima 7. Apenas um programa recebeu nota inferior ao do triênio anterior, enquanto 13 mantiveram seu conceito e 6 foram promovidos a notas superiores. É de se destacar que quatro entre as seis promoções foram da nota 5 para a nota 6, o que não só demonstra uma evolução positiva da área, mas também sua maior competitividade com programas do exterior.

Ciências Humanas – A área de Ciências Humanas possui 20 programas de pós-graduação: Antropologia Social (FFLCH), Arqueologia (MAE), Ciência Política (FFLCH), Educação (FE), Educação (FFCLRP), Ensino de Astronomia (IAG), Filosofia (FFLCH), Geografia Física (FFLCH), Geografia Humana (FFLCH), História Social (FFLCH), História Econômica (FFLCH), Psicologia Social (IP), Psicologia Experimental (IP), Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano (IP), Psicologia Clínica (IP), Neurociências e Comportamento (IP), Psicologia (FFCLRP) e Psicobiologia (FFCLRP), Relações Internacionais (IRI) e Sociologia (FFLCH). Desses programas, um possui apenas mestrado (Educação-FFCLRP) e outro é um programa de mestrado profissional (Ensino de Astronomia).
Dos 19 programas da grande área, 18 foram avaliados. O Programa de Ensino de Astronomia, um mestrado profissional, não foi avaliado por tratar-se de programa novo. Desses 18, nove programas foram avaliados como de excelência. São eles: Antropologia Social (6), Arqueologia (5), Ciência Política (7), Educação-FE (6), Filosofia (7), Geografia Física (5), Geografia Humana (7), História Social (6), Psicologia Experimental (7), Psicobiologia-FFCLRP (7) e Sociologia (7).
Desses 18 programas, oito (45%) atingiram nível considerado de “excelência internacional” (programas 6 e 7) no Brasil. Há apenas um programa com nota 3 (Educação-FFCLRP). Em relação à Avaliação Trienal de 2010, 12 programas mantiveram a nota, um programa obteve aumento (Filosofia) e cinco programas tiveram redução em suas notas (História Social, História Econômica, Psicologia Social, Psicologia Clínica e Neurociências e Comportamento).

Ciências Sociais Aplicadas – Na área de Ciências Sociais Aplicadas, a USP possui 12 dos programas de pós-graduação distribuídos nas subáreas: Ciências Contábeis, Administração, Ciências Econômicas, Arquitetura e Urbanismo, Direito, Ciências da Informação, Ciências da Comunicação, Meios e Processos Audiovisuais e Museologia, sendo que quatro dos primeiros citados estão duplicados entre a capital e o interior do Estado de São Paulo (Piracicaba, Ribeirão Preto e São Carlos).
Do total de programas da área, 64% possuem conceito acima de 5. O Programa de Administração da FEA é um dos dois do País que possuem a nota máxima (7), considerando um universo de 134 programas; na Economia, cujo universo é de 59 programas, três programas no Brasil detêm o conceito máximo (7); cabe destaque, ainda, que entre os que possuem nota 5 (13 programas) está o de Economia Aplicada da Esalq.
O Programa de Controladoria e Contabilidade da FEA é o único entre os 19 existentes no País que possui nota 6, os demais estão entre as notas 3 e 4. O Programa de Pós-Graduação em Direito é um dos oito dos 86 programas da área de Direito que possuem a nota máxima atribuída a esta subárea, que é 6.  Na subárea de Ciências da Informação a nota máxima no País é 5, sendo que, dos quatro programas que a detém, a ECA é um deles. No que concerne aos Programas de Comunicação, são nove os que possuem nota 6 ou 5 e, novamente, o programa mantido pela ECA foi contemplado. Dos dois Programas de Arquitetura, as notas são 5 e 4, respectivamente.

Engenharias – A USP mantém 17 programas com mestrado e doutorado acadêmico na área de Engenharias, distribuídos em três campi: Butantã, Escola Politécnica (Civil; Transportes; Sistemas Logísticos; Metalúrgica e de Materiais; Mineral; Eng. Química; Automotiva; Produção; Mecânica; Naval, Oceânica e Elétrica) e Ipen (Tecnologia Nuclear), São Carlos – Escola de Engenharia de São Carlos (Ciências da Engenharia Ambiental; Civil; Transportes; Geotecnia; Hidráulica e Saneamento; Produção; Mecânica; Elétrica e Bioengenharia) e Lorena – Escola de Engenharia de Lorena (Engenharia Química).
A USP está sempre alinhada, em seus cursos de pós-graduação em engenharias, às transformações econômicas e tecnológicas do País e do exterior, haja vista que vários programas recebem também recursos estrangeiros para o desenvolvimento de suas pesquisas.
Esta diversidade de áreas de atuação em engenharias é outro ponto relevante, pois a USP conta com grupos de pesquisa nas mais diversas áreas da engenharia direcionados para temas específicos, utilizando-se das dezenas de laboratórios de excelência existentes na instituição, o que coloca a investigação científica e tecnológica da USP em destaque.
Dos 17 programas da USP, quatro receberam nota 5, quatro receberam nota 6 e quatro receberam nota 7, totalizando cerca de 70% dos programas da área de Engenharia da USP. Os demais 30% dos programas foram avaliados como bons.

Linguística, Letras e Artes – A USP possui 19 programas de pós-graduação na Grande Área de Linguística, Letras e Artes, que compreende os programas de Linguística, Teoria Literária e Literatura Comparada, Filologia e Língua Portuguesa, Línguas, Literaturas e Culturas Estrangeiras Modernas, Letras Clássicas, Literaturas de Língua Portuguesa, além de Línguas, Literaturas e Culturas Orientais. Os programas da área de Artes são Música, Artes Cênicas e Artes Visuais.
Os programas têm cumprido um papel importante para a formação e a consolidação de quadros profissionais em universidades de diversas regiões do País. Mais de 70% dos egressos de Linguística, Letras e Artes atuam em instituições de ensino superior no País e, entre esses, mais de 50% em universidades públicas, além de atuarem na direção de reconhecidas instituições culturais e museológicas.
Nos dois últimos triênios de avaliação da Capes os cursos de pós-graduação na área de Letras, Linguística e Artes têm sido procurados por alunos estrangeiros para a realização de seus cursos de Mestrado e Doutorado.
No que tange especificamente aos resultados obtidos neste triênio, mais de 30% dos programas obtiveram notas 7, 6 ou 5, destacando-se a manutenção da produção intelectual em patamares históricos na maioria de seus programas, bem como o constante aprimoramento de seu corpo docente em nível internacional.

Multidisciplinar – A USP conta atualmente com 22 Programas de Pós-Graduação na Grande Área Multidisciplinar, distribuídos em cinco áreas: quatro programas em Ciências Ambientais, dois programas em Biotecnologia, três programas em Ensino, três programas em Materiais e dez programas na área Interdisciplinar.
Estes programas formam profissionais capacitados para atuar em diversos campos em instituições públicas e privadas, aptos para uma prática de trabalho interdisciplinar e atentos para a diversidade própria dos processos e situações contemporâneos. Tais programas apresentam uma importante contribuição para a ciência e o desenvolvimento do País, com destacado número de publicações em periódicos nacionais e internacionais, livros, teses e dissertações, prêmios e patentes registradas, além de atividades de intercâmbio de alunos e professores com universidades brasileiras e do exterior.
Na avaliação trienal, dos 22 programas da USP na Grande Área Multidisciplinar, foram avaliados 16, dos quais 38% obtiveram notas 5, 6 e 7.