Home » 1023 (24 a 02.03.2014), Comunidade

Um teste fácil, rápido e que pode salvar

Publicado por admin - Thursday, 27 February 2014

SAÚDE

Hospital Universitário lança campanha entre a comunidade uspiana para a prevenção de câncer colorretal – doença com incidência cada vez maior –, que dispensa procedimentos invasivos e é feita através de um simples exame

Os professores e funcionários da USP com idades entre 50 e 70 anos estão sendo convocados para participar do Programa de Prevenção de Câncer Colorretal na USP, realizado pelo Hospital Universitário (HU). O objetivo é detectar na comunidade uspiana o risco desse tipo de câncer, cuja incidência tem crescido em regiões mais desenvolvidas e está relacionada com o aumento do consumo de gordura entre a população.

O professor Yoshinobu Eishi, da Tokyo Medical and Dental University, em São Paulo: tecnologia e conhecimentos japoneses a serviço da saúde pública no Brasil

A boa notícia é que, para fazer a prevenção, não será necessário se submeter ao exame de colonoscopia, um procedimento invasivo e incômodo, que muitos pacientes se recusam a fazer. No programa do HU, o risco de câncer colorretal é detectado através de um simples exame de fezes, chamado pelos clínicos de pesquisa de sangue oculto quantitativo. Somente se for detectada nas fezes a presença de uma determinada quantidade de sangue – equivalente a 100 nanogramas de hemoglobina por ml – é que a colonoscopia se torna necessária. “É muito importante que todos os homens e mulheres nessa faixa etária façam o exame”, confirma o médico Luis Maruta, chefe da Seção de Endoscopia do HU.
Por enquanto, o programa está restrito ao campus da USP em São Paulo, onde há cerca de 6.500 servidores da Universidade com idades entre 50 e 70 anos. A intenção dos organizadores é expandir a campanha para os outros campi e também para a comunidade externa à USP, mas ainda não há prazo para isso. “Ainda não temos estrutura e pessoal para atender a um público maior”, justifica Maruta.

Luis Maruta: campanha na USP

Estima-se que o câncer colorretal – atualmente o terceiro tipo de câncer mais comum no Ocidente – atinja de uma a duas pessoas em cada mil.
Os funcionários que desejarem participar da campanha e fazer o exame devem se dirigir à Unidade Básica de Saúde (Ubas), ao lado do HU. Os professores podem fazer o exame indo diretamente ao Serviço de Endoscopia do HU. A campanha na comunidade USP terá duração de cinco anos.
Como parte da campanha, o Departamento de Saúde Ocupacional (DSO-Sesmt) da Superintendência de Saúde da USP já está solicitando o exame de fezes para detecção do câncer colorretal na avaliação médica periódica obrigatória dos servidores da Universidade.

Pesquisadores do Japão em visita ao Hospital Universitário da USP: parceria

Teste – A campanha conta com apoio da Clinica Las Condes, do Chile, da Tokyo Medical and Dental University (TMDU), do Japão, e do governo japonês, que contribui com equipamentos. Ela foi precedida de uma reunião realizada no dia 30 de setembro, em São Paulo, com a presença de especialistas do Brasil e do Japão. Entre eles estava o professor Yoshinobu Eishi, da TMDU, que falou sobre o projeto de prevenção do câncer colorretal no Japão e na América Latina. A delegação japonesa também fez visita ao HU.
Na ocasião, foi feito o lançamento da fase de testes do programa. Com a aprovação dessa fase de testes, encerrada neste mês, deu-se início à campanha. Além do HU, outras duas instituições de saúde participam do programa, o Hospital A. C. Camargo, de São Paulo, e a Fundação Rio-Grandense de Gastroenterologia, de Porto Alegre (RS).