Home » 1044 (03 a 09.11.2014), Comunidade

Muito além da sala de aula

Publicado por admin - Monday, 3 November 2014

EVENTO

Em simpósio na Biblioteca Brasiliana, pró-reitor de Graduação Antonio Carlos Hernandes anuncia novos torneios esportivos na USP – como o campeonato de rugby e a Taça USP – e afirma que pretende criar condições para perpetuar o esporte na Universidade

“Não existe atividade mais integrativa do que o esporte.” Com essa afirmação, o reitor da USP Marco Antonio Zago incentivou os participantes do simpósio “O Esporte na Formação e Integração dos Estudantes” – realizado no dia 24 de outubro no Anfiteatro da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin – a promover cada vez mais o esporte na USP. O evento foi organizado pela Pró-Reitoria de Graduação da USP

Na abertura do simpósio, o pró-reitor de Graduação da USP, Antonio Carlos Hernandes, disse que o esporte é fundamental para a formação acadêmica dos estudantes. “Participar de qualquer atividade esportiva permite uma maior integração entre os estudantes, beneficia a formação e consequentemente melhora a saúde física e mental, processo fundamental na formação dos nossos jovens.”

Hernandes anunciou que a Pró-Reitoria de Graduação promoverá o primeiro torneio de rugby da USP, que acontecerá neste fim de semana, dias 8 e 9, nas quadras de futebol do Centro de Práticas Esportivas da USP (Cepeusp). “O objetivo é difundir as atividades esportivas no corpo universitário e criar condições estruturais para a perpetuação dessa prática na USP”, ressaltou o pró-reitor de graduação.

O campeonato masculino contará com a presença de dez equipes universitárias, enquanto as equipes femininas giram em torno de oito. Os times não precisam ser referentes às unidades de ensino, podendo uma mesma equipe ser formada por atletas de diferentes unidades.

Está marcada para 6 e 7 de dezembro a primeira edição da Taça USP. A competição será disputada entre os vencedores dos Jogos da Liga da Capital, a Copa USP, contra os vencedores dos Jogos da Liga do Interior, o CaipirUSP. Essa é uma iniciativa da Liga Atlética Acadêmica da USP (Laausp) e da Pró-Reitoria de Graduação, que uniram forças para estruturar um novo campeonato na Cidade Universitária. Podem participar atletas de futsal, handebol, volêi masculino e feminino, futebol de campo e xadrez. “Precisamos valorizar a formação de nossos alunos para além da sala de aula”, ressaltou Hernandes.

Outra novidade fica por conta da criação de uma disciplina na Escola de Educação Física e Esportes (EEFE) da USP, que vai trabalhar as regras do rugby, além da elaboração de um calendário anual que abarque o esporte.

O pró-reitor lembrou também que foi aprovado pelo Conselho de Graduação a inclusão das atividades complementares (esporte, iniciação cientifica, participação em atléticas e centros acadêmicos) no histórico escolar, valendo carga horária para os universitários.

O Cepeusp: objetivo é ampliar a prática de esportes entre a comunidade USP

Segundo o diretor do Cepeusp, professor Emilio Antonio Miranda – também presente no simpósio –, a meta do centro é incrementar e estimular cada vez mais a atividade física entre a comunidade de alunos, professores, funcionários e dependentes. Hoje o Cepeusp oferece 29 modalidades esportivas, em 170 horários diferentes e com 41 professores por semestre. Miranda lamentou que a participação ainda é pequena, girando em torno de 4.600 esportistas inscritos em atividades oferecidas pelo Cepeusp. “Pretendemos que esse número atinja patamares maiores”, planeja Miranda.

Rugby – No simpósio, Stavros Xanthopoylos, da Fundação Getúlio Vargas, ressaltou os valores que o esporte Rugby acrescenta na formação das pessoas. “Esse é o segundo esporte mais praticado no mundo, em 120 países, com 4,3 milhões de atletas masculinos e 2,3 milhões femininos”, informou o ex-aluno da Escola Politécnica da USP, grande incentivador do esporte, que em 1979 representou o Brasil no rugby internacional.

Xanthopoylos lembrou que a prática do rugby estimula a integridade, o respeito, a solidariedade e a disciplina. É um grande instrumento de liderança e união, disse. “Promove como competências o pensamento estratégico, visão global, respeito a si e ao outro, o trabalho em equipe, ações de forma ordenada e disciplinada.”

José Carlos Brunoro, diretor-executivo da Sociedade Esportiva Palmeiras, afirmou que o marketing esportivo atual é sair do tático e ser estratégico, ou seja, “não é só colocar a sua marca na camisa do time, e sim provocar ações e intenções”. Ele destacou que não existe maior inclusão social do que o esporte e que a gestão esportiva hoje demanda mais profissionalismo, um marketing integrado com o design e a comunicação e maior interferência da imprensa.

Pesquisas – Em sua palestra sobre esporte e desempenho cognitivo, o professor Ronald Ranvauld, do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP, afirmou que o ato de pensar tem vínculo estreito com a ação motora. O professor demonstrou, por meio de pesquisas acadêmicas, a influência do esporte no desenvolvimento cognitivo humano. De acordo com Ranvauld, as ligações dos neurônios ficam mais eficientes com exercícios físicos, aumentando as sinapses. Com isso, o indivíduo tem melhora no desempenho de atividades motoras, como a atenção e o ato de pensar. “O envelhecimento tardio depende de um hábito de exercícios”, declarou.

Quanto à psicologia do esporte, a professora Katia Rubio, da EEFE, afirmou que o esporte é essencialmente social e a competição é parte da nossa existência. Em sua palestra, ela tratou dos aspectos psicológicos que envolvem a formação de um atleta. “Encontramos no esporte a possibilidade de expressar nossa humanidade. O atleta que não se conhece dificilmente tem uma posição de destaque”, ressaltou.

Sobre os benefícios da atividade física para o sistema cardiovascular, a professora Lisete Campagno Michelini, do ICB, mostrou que sair da inatividade por meio de exercícios físicos de média intensidade pode evitar problemas cardiovasculares, hipertensão e insuficiência cardíaca, entre outras doenças. “A inatividade tem sido considerada como uma das principais causas de morte no mundo”, realçou Lisete.

Representantes das Atléticas no simpósio: parceria com a Pró-Reitoria

Atléticas – O evento contou com a presença de representantes de várias Atléticas, já que agora estarão trabalhando com a Pró-Reitoria de Graduação na organização dos eventos esportivos. A Associação Atlética Acadêmica do Campus de São Carlos (Caaso), sob a presidência de Rodrigo de Almeida, aluno de Engenharia Elétrica, destacou que sua Atlética promove atividades beneficentes com a Prefeitura da cidade. Optou em fazer parte da Atlética, pois quer agregar ao seu aprendizado de engenharia a questão da tecnologia do esporte e sair da Universidade especialista nesse tema. “Essa passagem pela atlética aumenta nosso networking profissional e nos faz crescer na prática da gestão empresarial”, explica.

Estavam representadas também a Atlética Rui Barbosa, da Escola de Educação Física e Esporte, a Atlética Farmácia e Bioquímica, a Atlética Guimarães Rosa, do curso Relações Internacionais, e a Atlética Visconde de Cairu, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA).

Para o presidente da Atlética Acadêmica Visconde de Cairu, Rodrigo Tibiriçá, participar da Atlética é benéfico não somente por causa do esporte, e sim pela possibilidade de conhecer novas pessoas e novos lugares, além de aprender a lidar com as diferenças e a gerenciar atividades. “Cresci muito na parte criativa da gestão”, ressaltou.