Home » 1045 (10 a 16.11.2014), Cultura

Festa na USP Leste

Publicado por admin - Monday, 10 November 2014

Homenagem ao aluno Douglas Silva: perda

EVENTO

Cerca de 2 mil pessoas visitam a 1ª Feira de Profissões da EACH, promovida pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária nos dias 24 e 25 de outubro

ADRIANA CRUZ

Pouco antes das 9 horas da manhã, o clima era de expectativa. Os estandes, montados em uma grande tenda na área central da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH), recebiam os últimos ajustes e os expositores finalizavam a decoração dos espaços. Aos poucos, o burburinho da chegada do público – formado por alunos, professores e funcionários da EACH, estudantes do ensino médio, vestibulandos e representantes de grupos artísticos e de movimentos populares da zona leste – começava a tomar conta do ambiente.

Atividades da Feira de Profissões da EACH: integração

A primeira edição da Feira de Profissões da EACH, realizada nos dias 24 e 25 de outubro, teve clima de festa, marcando a reabertura do campus após a interdição da Justiça, devido à contaminação do solo. O campus esteve interditado no período de 9 de janeiro a 22 de julho deste ano e as aulas foram retomadas no dia 18 de agosto.

Promovido pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária, o evento seguiu o mesmo formato de estandes da tradicional Feira de Profissões da USP e teve como objetivo apresentar as oportunidades que a EACH oferece em seus cursos de graduação e pós-graduação e em suas atividades de pesquisa, cultura e extensão universitária.

Nos dois dias da feira, o público estimado de visitantes foi de cerca de 2 mil pessoas. Algumas das atividades desenvolvidas foram apresentações artísticas, estandes sobre os cursos da unidade e os programas de apoio à permanência estudantil da Universidade, orientação vocacional, ônibus biblioteca e bate-papo com professores.

A Feira de Profissões da EACH apresentou ainda as ações da Agência USP de Inovação, da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional e do Sistema Integrado de Bibliotecas (Sibi) da USP.

O curso de Obstetrícia: ações em favor da saúde pública

Dois destaques do evento foram os roteiros especiais de visitação. O Giro Cultural ofereceu, a cada meia hora, visitas monitoradas às instalações da EACH. Já o Giro Ambiental explicou aos visitantes as ações tomadas pela Reitoria para o atendimento das exigências de adequação ambiental da área. As ações compreendem, por exemplo, a instalação de bombas fixas para a extração de gases do subsolo das edificações e o isolamento e revestimento com grama das áreas onde foram depositadas terras não certificadas.

Movimentos sociais – Na cerimônia de abertura da feira, a diretora da EACH, professora Maria Cristina Motta de Toledo, destacou a importância do evento como marco do retorno das atividades acadêmicas e administrativas ao local. “A feira celebra a nossa volta a este campus, estimulando assim a configuração da EACH, que é um exemplo dentro da USP: um exemplo de inovação, de excelência do que pode ser a USP.”

A pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária, Maria Arminda do Nascimento Arruda, ressaltou a importância da EACH na inclusão social da Universidade, enfatizando que 50% de seus estudantes são oriundos de escolas públicas da zona leste de São Paulo. “Esta iniciativa simboliza a importância e o significado que a USP confere a esta escola. Simboliza também o compromisso da Universidade na participação ativa com a sociedade”, afirmou.

O padre Antônio Marchioni, mais conhecido como padre Ticão, da Paróquia São Francisco de Assis, de Ermelino Matarazzo, fez uma saudação aos visitantes e aproveitou a ocasião para pleitear a criação de um curso na área de dança na EACH.

Apresentação do curso de Têxtil e Moda: mais perto da sociedade

O pároco, que coordena importantes movimentos sociais da região, levou dois grupos para se apresentarem na feira: o Bate Lata, com crianças e adolescentes percussionistas, e o Dança da Terceira Idade, que fizeram apresentações ao som de funk e músicas folclóricas portuguesas e italianas.

Em seguida, o presidente da Comissão de Cultura e Extensão Universitária da EACH, professor Ricardo Ricci Uvinha, fez uma homenagem ao aluno Douglas Ribeiro da Silva, do sexto semestre do curso de Lazer e Turismo, que morreu devido a um acidente no dia 12 de setembro, nos Estados Unidos.

Morador da comunidade de Paraisópolis, em São Paulo, Douglas estava no Estado do Alabama para participar do World Leisure Congress 2014, onde apresentaria sua pesquisa “A percepção dos moradores de Paraisópolis e Heliópolis sobre o que se chama turismo na favela”.

O docente entregou flores à mãe do estudante, Luciene Loes de Ribeiro, e leu um texto em sua homenagem, lembrando que “um dos grandes momentos de dedicação do querido Douglas foi sua participação na Feira de Profissões da USP, realizada em agosto deste ano. Ele contou em detalhes como era possível ser bem-sucedido no vestibular da Fuvest, entrar e permanecer na melhor Universidade do País e da América Latina”.

Estudantes fazem selfie com o reitor: descontração

Assim que deu início à sua fala, o reitor Marco Antonio Zago foi interrompido por um aluno do curso de Gestão de Políticas Públicas, que fazia um manifesto com críticas em relação às questões ambientais da área da USP Leste e à realização da feira.

O dirigente pediu para que o aluno subisse ao palco e expressasse sua opinião a todos os presentes. “A diversidade de opinião e de ideias deve ser respeitada. Podemos ter opiniões divergentes, mas encontrar as soluções em conjunto”, considerou o reitor.

Zago salientou a importância da EACH e a realização da Feira de Profissões como ferramentas eficientes de relacionamento entre a Universidade e seu entorno. Também garantiu que será levada para discussão a demanda do padre Ticão para a criação de “mais um instrumento de integração com a comunidade”.