Home » 1086 (3 a 08.11.2015), Livros, Vamos

Anti-Dühring de Engels

Publicado por thiagocastro96@gmail.com - Tuesday, 3 November 2015

Publicado em livro originalmente em 1878, Anti-Dühring reúne os materiais escritos entre 1877-1878 para o jornal dos sociais-democratas alemães, o Vorwärts, considerado um dos melhores escritos de Friedrich Engels e leitura imprescindível para a introdução ao pensamento marxiano. Pela primeira vez traduzido diretamente dos originais em alemão por Nélio Schneider, Anti-Dühring – A revolução da ciência segundo o senhor Eugen Dühring (Boitempo Editorial, 384 págs., R$ 59,00) comemora os 120 anos de morte do autor, interlocutor favorito de Marx, e também as duas décadas de trajetória da editora. O livro foi concebido como uma resposta ao também alemão Eugen Dühring, que havia criado sua própria versão do socialismo, baseada em uma teoria “autocrática” que excluía a teoria marxiana. A exposição foi tão rigorosa ao desmontar, ponto por ponto, o material que a originou, que Dühring e seus argumentos são lembrados quase unicamente como estopim da crítica engelsiana, segundo nota da edição. “O ‘sistema’ do sr. Dühring, que foi aqui submetido à crítica, dissemina-se por um campo teórico muito vasto; fui forçado a segui-lo por toda parte e contrapor as suas concepções às minhas. Desse modo, a crítica negativa se converteu em crítica positiva, e a polêmica se transformou numa exposição mais ou menos coerente do método dialético e da concepção de mundo comunista defendidos por Marx e por mim, o que ocorreu numa série bastante abrangente de campos do conhecimento”, afirmou Engels. O livro é dividido em três seções – Filosofia, Economia Política e Socialismo – e, em cada uma, Engels discute temas como moral, igualdade, liberdade, necessidade, verdades eternas, a dialética “quantidade e qualidade”, teoria do poder, teoria do valor, renda fundiária, entre outros assuntos. O texto engelsiano logo converteu-se em clássico, formando as primeiras gerações de marxistas e constituindo-se, “após o Manifesto Comunista, [n]a mais popular introdução ao marxismo”, segundo Gareth Stedman Jones, especialista nas obras do filósofo. “Vazado num estilo ácido e irônico, o Anti-Dühring expressa uma conjuntura muito determinada: é o marco de um capítulo da batalha das ideias no período da emergência da social-democracia alemã”, diz José Paulo Netto na apresentação da obra.