Home » 1098 (01 a 08.03.216), Comunidade

Voto eletrônico faz participação aumentar

Publicado por admin - Tuesday, 8 March 2016
Realizada em fevereiro, escolha on-line de representantes docentes no Conselho Universitário contou com participação de 3.200 eleitores – um recorde na história da Universidade
João Ferreira: racionalização

João Ferreira: racionalização

A primeira eleição eletrônica da história da USP – realizada nos dias 3 e 4 de fevereiro – teve participação recorde de eleitores. A escolha on-line de representantes docentes para o Conselho Universitário contou com votos de nada menos que 3.200 mil professores (54% do total de eleitores possíveis). O uso da tecnologia permitiu que os eleitores – com uma senha obtida previamente – votassem de qualquer computador, sem precisar se deslocar a um local de votação. Além disso, pela primeira vez, a eleição foi direta, como determinado pelo Conselho Universitário no final do ano passado.

Na escolha do representante dos professores titulares, o índice de participação chegou a 62%: 623 dos 1.006 professores titulares da Universidade indicaram o candidato de sua preferência. A vencedora foi a chapa única formada pelo professor Oswaldo Baffa Filho, da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP), como titular, e Amâncio Jorge Silva Nunes de Oliveira, do Instituto de Relações Internacionais (IRI), como suplente. A chapa foi eleita em primeiro turno, com 494 votos, 40 votos em branco e 89 votos nulos.
Nas eleições para a escolha de representante dos professores associados e dos professores doutores, o índice de participação também foi expressivo. Nelas, houve segundo turno, realizado nos dias 22 e 23 de fevereiro. Nas duas categorias, mais de 2,5 mil eleitores (51,5% do total de eleitores possíveis) participaram das votações no segundo turno. Foram eleitos Simone Rocha de Vasconcellos Hage, da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB), como representante titular dos professores associados, e José Renato de Campos Araújo, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH), como representante titular dos professores doutores.

Poveda Velasco: representatividade

Poveda Velasco: representatividade

Facilidade – “Estas eleições foram uma experiência muito bem-sucedida e atendem a um anseio antigo da comunidade acadêmica, de mais participação”, avalia o secretário geral da Universidade, professor Ignacio Maria Poveda Velasco, que destacou a participação significativa dos eleitores na votação.
Poveda Velasco cita dados das eleições de 2014, para representante dos professores titulares no Conselho Universitário, que evidenciam o aumento da participação da comunidade dos docentes na escolha de seus representantes. Naquele ano, apenas 66 delegados – escolhidos pelas unidades – participaram da votação. “Em 2014, foram 66 participantes, contra 623 neste ano. É um aumento muito significativo”, considera o secretário geral.
Entre os professores associados – cerca de 2.000 atualmente –, o número de participantes subiu de 51, em 2014, para 1.100. Já na categoria dos professores doutores, dos 3.000 docentes aptos a votar, cerca de 1.500 deram seu voto nas eleições de fevereiro passado, contra 56 em 2014.
O secretário geral atribui o aumento do número de participantes à forma direta de escolha e também à facilidade proporcionada pela tecnologia. “Com isso, a representação no Conselho Universitário se torna muito mais representativa”, afirma Poveda Velasco.
Link de acesso à votação realizada na USP em fevereiro

Link de acesso à votação realizada na USP em fevereiro

O superintendente de Tecnologia da Informação, professor João Eduardo Ferreira, também ressaltou o sucesso da experiência. “Além de racionalizarmos o processo de votação, que antes pressupunha o uso do papel e um sofisticado aparato logístico para sua realização, disponibilizamos também uma infraestrutura computacional, que poderá ser compartilhada por toda a Universidade em quaisquer eleições que envolvam docentes, funcionários e alunos”, considerou.

A eleição foi coordenada pela Secretaria Geral da Universidade e o processo de votação e totalização dos votos ficou sob a responsabilidade da Superintendência de Tecnologia da Informação (STI).
Até o ano passado, as eleições para a escolha de representantes no Conselho Universitário se davam em dois turnos: no primeiro, cada unidade escolhia o seu delegado para formar o colégio eleitoral que, no segundo turno, definia o representante. Os eleitores também tinham que ir pessoalmente ao local do pleito.
ROBERTO C. G. CASTRO, com informações de ADRIANA CRUZ
BOX
Eleição utilizou o sistema Helios Voting
O sistema utilizado nessa votação histórica é baseado no Helios Voting, adaptado para atender às demandas da USP pela Superintendência de Tecnologia da Informação (STI), por meio do seu Centro de Tecnologia de Informação de São Carlos, com base numa versão inicial disponibilizada pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC).
Depois dessa adaptação, o sistema foi instalado no ambiente computacional da USP. Em seguida, os dados dos docentes (nome, número e e-mail) foram integrados ao Helios Voting para permitir o processo automático de envio de mensagens e monitoramento dos votos, bem como os resultados da eleição. As regras da eleição (publicadas na portaria GR nº 6.721), as cédulas, as orientações e o critério para selecionar os eleitores docentes foram feitos pela Secretaria Geral. No dia anterior à votação, os eleitores receberam um e-mail com o endereço eletrônico da votação e a senha de acesso.