Home » 1103 (25.04 a 01.05.2016), Edição, Especial

Jornal da USP migra para o digital e integra mídias da Universidade

Publicado por leticiapfuentes@gmail.com - Monday, 25 April 2016

O Jornal da USP, antes limitado à publicação semanal de 10 mil exemplares impressos, a partir do dia 2 de maio passa a circular exclusivamente em nova versão on-line, que inclui também as outras mídias da Universidade – a Agência USP de Notícias, o USP Online, a Rádio USP e a TV USP. Entra no ar com notícias diárias, divulgando a pesquisa, a ciência e a cultura da USP. Com sua história de 31 anos de jornalismo pautado na ética, a meta é buscar leitores de todo o planeta

.

LEILA KIYOMURA

Com uma história de 31 anos e o brio de ser apontado como um dos maiores jornais universitários do País, o Jornal da USP atravessa o oceano para ser um cidadão do mundo. Caminha firme com a experiência de um jornalismo pautado na ética. E o mais importante: a certeza de divulgar a pesquisa, a ciência e a cultura da Universidade de São Paulo, uma das mais importantes da América Latina, para todo o planeta.

A partir do próximo dia 2 de maio, o Jornal da USP, editado pela Superintendência de Comunicação Social (SCS) da USP, entra no ar em uma nova dinâmica e em novo endereço eletrônico (www.jornal.usp.br). Ele será publicado exclusivamente na versão digital e incluirá as outras mídias da Universidade. O leitor vai acompanhar, com mais agilidade, o que acontece na ciência, nas artes e na cultura da USP. Informações que estarão disponíveis em artigos, reportagens e também através de galerias de fotos e gravações em áudio e vídeo.

“Nessa nova configuração on-line, o mundo inteiro vai poder saber notícias da USP em tempo real”, observa o chefe técnico da Divisão de Mídias Impressas da SCS, jornalista Marcello Rollemberg. “Muito diferente da edição impressa, que também era acessada na internet, porém trazia exatamente o mesmo conteúdo da publicação semanal. Se antes tínhamos um público limitado a 10 mil exemplares impressos, agora acreditamos que o nosso alcance será muito maior.”

Rollemberg observa que o Jornal da USP, com circulação semanal, estava perdendo a dinâmica da informação. “É uma mudança na estrutura da comunicação. Vamos acrescentar mais qualidade e ganharemos tempo e agilidade. O jornal poderá ser lido tanto em Lisboa como no interior da Bahia ou na Islândia.”

Cinco eixos – Para garantir esse alcance, a chefe técnica da Divisão de Mídias Online da SCS, jornalista Marcia Blasques, conta que o design gráfico do Jornal da USP foi criado para permitir um acesso fluente às informações. “O conteúdo tem cinco eixos: Ciências, com a apresentação das pesquisas que estão sendo realizadas, entrevistas com os cientistas e reportagens nos institutos e laboratórios; Cultura, que vai divulgar as exposições dos museus, as iniciativas e eventos culturais de todas as unidades, as criações em arte visual e música e também as pesquisas em história, arte, arquitetura, literatura, filosofia e sociologia, além de lançamentos e resenhas de livros; Atualidades, que vai focar a Universidade, contribuindo com o debate público, repercutindo o que acontece no Brasil e no mundo, como é o caso do zika vírus, da tragédia da cidade de Mariana, do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff ou do drama dos refugiados no mundo; Universidade, que trará os fatos que acontecem na USP; e Institucional, que vai divulgar as iniciativas e decisões ligadas à administração central.”

O conteúdo disponibilizado, segundo Marcia, contará com infovídeos, infográficos, áudio, galeria de fotos e imagens coloridas. “Todos esses recursos vão despertar a atenção do leitor. Outra coisa interessante é que o sistema vai cruzar conteúdos variados. Quando estiver lendo uma matéria sobre os problemas do clima, por exemplo, o leitor terá acesso a artigos sobre o mesmo tema publicados pela Revista USP ou a uma entrevista divulgada pela Rádio USP.”

Apesar do incremento nos recursos audiovisuais, a meta é não perder o foco na qualidade do texto. O Jornal da USP continuará priorizando as grandes reportagens, ensaios e artigos. O site também terá um espaço para o leitor opinar, dar e pedir informações e sugerir pautas. A expectativa do jornalista Marcello Rollemberg é de que o Jornal da USP também seja pioneiro na versão on-line. “O jornal impresso sempre se destacou como um gerador de pautas nas redações de todo o País. A versão on-line continuará com essa responsabilidade, sendo uma referência para a divulgação científica e cultural”, afirma Rollemberg.

Integração – O Jornal da USP passa a ser uma fusão de todas as mídias da Superintendência de Comunicação Social. As equipes do Jornal da USP, Agência USP de Notícias, USP Online, Rádio USP e TV USP passam a trabalhar integradas e vão estar reunidas em uma única redação.

“Essa reestruturação no organograma teve como referência um estudo feito por um grupo de trabalho formado em 2014, logo no início da gestão do reitor Marco Antonio Zago”, esclarece Marcia. “A meta foi analisar a comunicação da USP com a sociedade através das mídias da Superintendência de Comunicação Social.”

Esse grupo contou com a participação dos professores Carlos Ferreira Martins, Margarida Krohling Kunsch, Elizabeth Saad, Eugênio Bucci, André Singer e Luiz Fernando Santoro. Em agosto do ano passado, a SCS começou a colocar em prática as recomendações do grupo de trabalho, que apontavam para a fragmentação na comunicação dos veículos da SCS, com duplicidade de estruturas e tarefas.

Depois de encontros, palestras e debates com os funcionários, foi desenvolvido um novo projeto de comunicação, com a integração de todas as mídias, trazendo ganhos de escala e propiciando economia de recursos e de energia. “Com a integração de todos os jornalistas, pretendemos fornecer informações em primeira mão de pesquisas desenvolvidas na USP, além de atividades de extensão e outros serviços oferecidos pela Universidade”, esclarece Marcia Blasques. “Vamos produzir conteúdos sobre temas de interesse público, levando à discussão e ao aprofundamento desses temas.”

Nesse novo organograma da comunicação da SCS, o Jornal da USP passa a ser o maior canal de interação entre a Universidade e a sociedade. “Vamos colocar em prática o jornalismo de caráter público, propiciando o debate e o diálogo”, garante Marcia.

O novo Jornal da USP pode ser acessado no endereço eletrônico www.jornal.usp.br.

.

Uma história que se renova

O Jornal da USP foi criado em 1985, na gestão do reitor Hélio Guerra Vieira, como uma publicação mensal. Nasceu com um nome de peso e ares de house organ, em formato A4, oito páginas em preto e branco e sem nenhuma foto. Mas, como todo bom uspiano, com a capacidade de aprender e de se reinventar.

No decorrer de 31 anos e 1.103 edições, mudou de formato, de papel, passou por vários projetos gráficos. E trilhou registrando os caminhos da Universidade de São Paulo e da sociedade brasileira. O nome Jornal da USP passou a se destacar no jornalismo nacional, firmando o seu compromisso de ser uma janela da USP para a sociedade.

Com essa história, esse “idealista uspiano” conquista a versão on-line e vai levar a arte, a ciência e a cultura da USP para o Brasil e o mundo afora. Um caminho sem limites. No decorrer das últimas semanas, muitos leitores lamentaram o fim do jornal impresso. Mas, como bem lembra o diretor e professor de Jornalismo Marcello Rollemberg, toda mudança na comunicação causa um estranhamento. “As inovações sempre assustam. Quando o cinema foi criado, disseram que não iria durar. Quando a televisão surgiu, todos acharam que iria liquidar com o rádio. E eles estão todos aí. É preciso buscar as novas ferramentas e os leitores só têm a ganhar com a capilaridade da notícia e a agilidade da informação. O mais importante é o compromisso do Jornal da USP com a prática do jornalismo de caráter público, para levar as realizações da Universidade nas ciências, na cultura e na arte para toda a sociedade.”