Home » 1103 (25.04 a 01.05.2016), Comunidade, Edição

Rádio USP altera programação para se atualizar e renovar

Publicado por leticiapfuentes@gmail.com - Monday, 25 April 2016

Como parte das alterações na Superintendência de Comunicação Social da USP, emissora flexibiliza a grade de programas, investe no jornalismo e passa a contar com 20 novos colunistas

Foto: Cecília Bastos

O locutor Mário Santi e o técnico de som Benê Ribeiro

.

MARIA BEATRIZ BARROS

A partir de 2 de maio, a grade de programação da Rádio USP FM (93,7 MHz) sofrerá algumas alterações, parte da reforma que acontecerá em todas as mídias da Superintendência de Comunicação Social (SCS) da USP. “O processo está acontecendo desde o segundo semestre do ano passado”, conta Celso Filho, diretor geral da Rádio USP. Assim como as demais mídias da SCS que serão unificadas em uma nova plataforma interativa, a fim de atualizar seu formato e conteúdo, a programação da rádio mudará alguns programas, a fim de flexibilizar a grade e dar a ela algo de inédito.

“Estamos querendo agregar valor à Rádio USP”, afirma Alexandre Lima, responsável pelo planejamento musical do veículo. “Antes, nós tínhamos uma programação ‘corrida’, dando destaque a tudo. Agora, iremos setorizar os programas. A parte da manhã terá uma faixa de música instrumental – é importante ressaltar que apenas a música clássica não será necessariamente brasileira dentro da nossa grade. Depois, apresentaremos clássicos do Brasil, como Orlando Silva, seguidos de um espaço para os novos artistas do País.”

Quanto à parte da tarde, a grade ainda não estava concluída até o final desta edição, mas a ideia é dar voz ao “lado b” dos artistas, as versões exclusivas apresentadas por eles no “Via Sampa Estúdio” ao longo dos anos. Já na madrugada, a programação será composta por “tudo de mais tranquilo tocado durante o dia”, segundo palavras de Lima.

Foto: Cecília Bastos

Paulo Sérgio Capuzzo e Silvana Pires, da equipe de Jornalismo

Programas como “Playtrack”, “Johnny B. Rock”, “Agente 93”, “Dancing Night Away”, “Rádio Caos” e “Clip Informática” sairão da grade, para dar espaço à nova programação. Os tradicionais “Manhã com Bach” e “O Samba Pede Passagem” continuarão a ser apresentados. A área jornalística também sofrerá diversas alterações. Os programas “USP Notícias”, que vai ao ar das 7h às 8h, e “USP Express”, das 17h às 19h, serão retirados da grade. Em contrapartida, o jornalismo terá presença direta na programação, flutuará pela grade. “Quando tivermos alguma notícia, entramos no meio da grade. A ideia é ter sempre o locutor do horário e um jornalista no estúdio”, diz Paulo Capuzzo, diretor de Jornalismo do veículo.

Colunistas – Uma equipe de 20 colunistas foi convidada a integrar a programação. De segunda a sexta-feira, quatro deles terão um espaço de cinco minutos cada um na grade, para fazer considerações referentes a suas áreas de atuação, com pouquíssimas intervenções dos repórteres. A participação dos colunistas acontecerá das 8h30 às 10h30 e será repetida no final da tarde. A maioria é formada por professores da USP.

Um dos nomes já confirmados é Pedro Dallari, professor de Direito Internacional do Instituto de Relações Internacionais (IRI) da USP, do qual é diretor, membro e coordenador da Comissão Nacional da Verdade (CNV) de 2013 a 2014; também Paulo Saldiva, professor do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP, reconhecido por suas pesquisas em fisiopatologia pulmonar e poluição atmosférica e atual diretor do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP. Além deles, estão confirmados o embaixador Rubens Barbosa, o ex-ministro da Educação Renato Janine Ribeiro e o jornalista Mauro Marcelo Alves.

Toda a plástica da Rádio USP será alterada. “Teremos uma roupagem nova de conteúdo. A nova plástica da rádio – isto é, as vinhetas – dará ares de mudanças significativas”, conta Silvana Pires, diretora de Programação do veículo. “Além dos novos programas já confirmados, temos muitos projetos a serem estudados. O Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, por exemplo, está trabalhando em algo para nós”, ela completa.

.

Emissora já recebeu vários prêmios

A Rádio USP de São Paulo foi criada em 11 de outubro de 1977, preenchendo o espaço vazio de emissoras educativas em FM na Grande São Paulo e, ao mesmo tempo, proporcionando um canal de comunicação entre a Universidade de São Paulo e a sociedade, de acordo com texto publicado na página eletrônica da emissora (www.radio.usp.br).

Ao longo de seus 39 anos, a emissora recebeu diversos prêmios por sua linha de trabalho diferenciada. Em 2000, a Rádio USP recebeu o prêmio da APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) como melhor programação musical. Destacam-se as premiações pela melhor programação de cultura geral e melhor programa de variedades, conferidos também pela APCA, o Prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do Livro e o Terceiro Concurso Internacional de Programas de Rádio promovido pela Rádio Cubana (vencido pelo clip “Atualidades”).

“A Rádio USP mantém uma programação jornalística voltada à divulgação das atividades da Universidade e um espaço aberto para debates sobre temas de interesse da sociedade e para prestação de serviços”, acrescenta o texto.

Ainda de acordo com a rádio em sua página, a programação musical se caracteriza como uma opção à segmentação das atuais emissoras de FM, oferecendo ao público os mais diversos ritmos do panorama musical brasileiro, da MPB ao rock, do jazz ao samba, e é uma das poucas emissoras que inclui música instrumental em sua programação principal. “A Rádio USP difunde ainda gêneros musicais que não encontram espaços nas emissoras comerciais, como, por exemplo, a música étnica, a música erudita, o jazz e o blues.”