Home » 1103 (25.04 a 01.05.2016), Edição, Livros, Vamos

O que os poetas dizem sobre a Segunda Guerra

Publicado por leticiapfuentes@gmail.com - Monday, 25 April 2016

Elaborado ao longo de muitos anos, em um processo de múltiplas leituras e interrogações, O Mundo Sitiado: A poesia brasileira e a Segunda Guerra Mundial (Editora 34, 376 págs, R$ 62,00) é um livro raro no panorama atual, primeiro pela amplitude de sua aposta crítica – flagrar a resposta dos poetas brasileiros ao acontecimento mais traumático do século 20 – e também pelos argumentos apresentados pelo autor, o professor de Literatura Brasileira da USP Murilo Marcondes de Moura. A obra, em coedição com o curso de Pós-Graduação em Literatura Brasileira da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade, traz um capítulo inicial dedicado às relações entre a poesia de vanguarda e a Primeira Guerra Mundial, incluindo poemas de Guillaume Apollinaire, Wilfred Owen e Giuseppe Ungaretti escritos nas trincheiras, para, na sequência, examinar as marcas do conflito de 1939-1945 na poesia de Carlos Drummond de Andrade, Oswald de Andrade, Cecília Meireles e Murilo Mendes. Segundo Davi Arrigucci Jr., no texto de orelha do livro, “talvez se possa resumir a matéria deste livro numa equação: o mundo em guerra e o poeta em agonia”.